Tarifa Zero.

| Posted on terça-feira, fevereiro 08, 2011

Aqui os ônibus são intermunicipais, interligados por terminais. Pode-se pagar um passagem e ir de terminal em terminal o quanto tempo quiser, desde que não saia do terminal ou desça do ônibus.
Existe a Ceturb com fim específico de desempenhar as funções de competência do Estado, atribuídas pela Constituição Federal e regulariza e fiscaliza as 12 empresas associadas ao SETPES (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Espírito Santo).

Nessa sexta feira, chegaremos ao sexto dia de manifestações. Faremos um ato junto a várias cidades do Brasil.
O primeiro ato (dia19/01/11) teve a finalidade de fechar uma importante avênida da capital.
O segundo ato, nos concentramos na Universidade Federal do Espirito Santo (UFES), e seguimos em marcha até a Terceira Ponte, que é a ponte que faz ligação entre a cidade de Vitória e Vila Velha. A intenção era abrir as cancelas para que os carros tivessem passe livre, a fim de denúncia outro abuso, que é o pedágio que funciona a 15 anos. Tempo o suficiente para ter tirado bem mais dinheiro do que precisava para custear a construção e manutenção da ponte.
Fomos impedidos pela elite da polícia militar do ES, o BME (Batalhão de Missões Especiais).
No terceiro ato, a finalidade foi a mesma, abrir as cancelas. A concentração dessa vez foi em frente a Assembléia Legislativa do Espirito Santo. Seguimos em marcha novamente em direção a Terceira Ponte. Na chegada já nos deparamos com inúmeros policiais portando armas de verdade, armas que disparam bala de borracha e com bombas de efeito moral, junto a cavalarias e vários cachorros.
Não avançamos em direção aos policiais, mas resistimos no meio da rua.
Fizemos uma negociação e os policias recuaram, e voltamos a Assembléia Legislativa.

O quarto ato, foi uma reunião em frente a Ceturb-GV, o qual compareceram 20 estudantes e mais de 150 policias da ROTAM.

No quinto dia do ato, fretamos 2 ônibus e nos concentramos em frente a UFES. Usamos os ônibus para chegar a Terceira Ponte ates da polícia.

Abrimos as cancelas com sucesso. Os carros tiveram passe livre até as 20:30, onde decidimos encerrar o ato.

No Sexto ato, dia 28/01, nos encontraremos na Assembléia Legislativa as 17horas e novamente abriremos as cancelas da ponte.

Em 2005, após 4 dias de manifestações, conseguimos a redução da passagem e o passe livre para estudantes do ensino médio e a meia passagem para estudantes de todos os níveis.

Lutamos pela redução do preço da passagem. Exigimos, além disso, mudanças na composição do COTAR e uma CPI de todo o sistema de transporte no ES. Além disso, algumas exigências pontuais como manter os ônibus funcionando por 24h e aumentar o número de linhas.

O movimento não tem porta-voz. Temos uma comissão de organização que é responsável também pelo diálogo com a imprensa e com o governo. Dessa comissão fazem parte cerca de 20 estudantes.

Continuaremos fazendo protestos até a passagem cair.

Ps: Os atos foram (em ordem) no dia 19/01, 20/01, 21/01, 24/01 e 25/01.

Fotos
1º ato, dia 19 - http://verd.in/7bj
2º ato, dia 20 - http://verd.in/zyx
3º ato, dia 21 - http://verd.in/71g
4º ato, dia 24 - Não tem
5º ato, dia 25 - http://verd.in/8oq

Crédito: Movimento Passe Livre Espírito Santo