Contra o aumento abusivo da tarifa do Transporte "Público" da Grande Vitória

| Posted in , | Posted on quarta-feira, janeiro 26, 2011

PRIMEIRO DIA

19/01/2011
Vídeo do primeiro dia de manifestação




SEGUNDO DIA

20/01/2011

"Ontem, dia 20/01, realizamos a segunda manifestação de nossa jornada de lutas pela redução do preço da passagem de ônibus na Grande Vitória.
Saímos da UFES por volta de 19h em passeata. Muitas pessoas foram chegando e se somando a nós. Quando passamos da ponte da passagem, já éramos cerca de 250 estudantes em marcha pela avenida RETA DA PENHA.
Estudantes da UFES, secundaristas, galera do Hip-Hop, do Funk e Punks estão  na atividade também!
Quando chegamos no final da Reta da Penha, a Tropa de Choque da polícia militar estava nos esperando em grande número, fechando num cordão a pista que leva até a Terceira Ponte.

Para evitar mais um confronto (visto o caso do primeiro dia em que a PM levou um estudante algemado sem nenhum motivo), preferimos recuar e evitar o confronto.

O Governador Renato Casagrande, que herdou este aumento do ex-imperador Paulo Hartung, ainda não se pronunciou. Ou não está levando a sociedade que o elegeu a sério ou deve estar achando que vamos parar.

O movimento não irá parar até ser ouvido!"






TERCEIRO DIA
21/01/2011



Os militantes do Movimento Estudantil, do Movimento Passe Livre, Movimento Terra Trabalho e Liberdade junto a alguns sindicatos de trabalhadores e o DCE da UFES se concentraram na Assembleia Legislativa às 17h30min.

A intenção era chegar a 3º Ponte para abrir as cancelas, sem interromper o transito, e sim garantir o direito de ir e vir dos cidadãos.

Seguimos em marcha até uma das entradas da 3º Ponte, próximo ao Palácio do Café, fomos recebidos por policiais da ROTAM e do Batalhão do Movimento Estudantil (BME).

Resistimos a intimidações vindas de escudos e armas pesadas, coletes, cavalos (inclui-se nesse os próprios policiais) e cachorros. Sentamos na pista e negociamos. Decidiram que tínhamos que liberar uma faixa em 2 minutos, ou seriamos tirados a força.
Foi feita a negociação, e liberamos uma faixa para que os carros passassem.
A aprovação popular foi muito positiva, apesar de ficarem até 30 minutos parados, era evidente que o povo sabia de todo ato fascista que acontecia ali para proteger o pote de ouro do governador.

Falando nele, o mesmo estava assistindo a abertura do Capixabão 2011 e disse não saber do que se trata a manifestação dos estudantes.

Voltamos a negociar com a polícia e os fizemos recuar e liberarem uma rua para que voltássemos à assembleia, aonde finalizamos nosso ato com o famoso “roletaço”.

QUARTO DIA
24/01/2011

Pela manhã, alguns de nós nos reunimos próximos a Ceturb.
Não sei da onde a policia tirou a ideia que iríamos ocupar a Ceturb.
A agenda do ato do dia 24 está bem clara. "Vamos nos encontrar ás 09h00min da manhã em frente ao prédio da Ceturb".
Bastou essa informação para que fossem enviadas ao local treze viaturas da ROTAM (choque) e alguns outros carros da PM.
Detalhe que, os carros do CHOQUE foram os primeiros a chegar, fizeram um comboio e estacionaram dentro da Ceturb.
Apenas eram visíveis os carros da PM comum do lado de fora. Quatro viaturas.
Mais uma vez a PM subestimou-nos, acreditando que entraríamos no prédio da Ceturb, pensando que só havia tais policiais fazendo a segurança do local.
A ideia era que, quando estivéssemos dentro do prédio, o portão principal seria fechado e então sairia alguns policias do portão lateral e nos cercaria. O que aconteceria ali dentro é claro.
Mas não foi isso que acabou por ocorrer. Nós compramos alguns lanchinhos no posto ao lado do prédio e fizemos uma pequena reunião.
Quando estávamos na loja de conveniência do posto, um policial entrou atrás e ficou nos vigiando. A moça do balcão perguntou - "O senhor quer alguma coisa?"- a resposta do policial foi engraçada. - " Não, só estou acompanhando eles."-
Terminamos essa reunião seguindo em direção a Centro de Referencia a Juventude, onde assistimos TV, bebemos agua e por fim seguimos para o centro de Vitória, onde houve uma reunião com alguns representantes do governo e da Ceturb.

QUINTO DIA
25/01/2011

Mais uma vez a inteligência da PM nos subestimou.
Foi marcada uma concentração na UFES por volta das 17h30min.
O ato foi deixado de lado pela polícia por achar que depois do ato da manhã de segunda-feira (onde compareceram 20 militantes) o movimento estaria morto ou dando seus últimos suspiros de agonia.
Surpreendemo-los com dois ônibus que nos levaram até a Terceira Ponte, onde o caminho estava livre, sem policiais.
Abrimos as cancelas do pedágio e não permitimos que os carros pagassem o preço abusivo da tarifa do pedágio, que já foi pago há muitos anos. Houve enorme apoio popular.
Os policiais da BME e a ROTAM só chegaram ao pedágio depois de 15 minutos de ocupação. Já era muito tarde.
Permanecemos lá até às 20h30min, quando foi decidido que iríamos até a Reta da Penha fazer nosso famoso "Roletaço".


SEXTO DIA
Quinta-feira, 27 de Janeiro, Rock na UFES, Rock da Catraca.

DIA NACIONAL, DIA D
Dia que faremos um ato junto a várias capitais brasileiras, entre elas, São Paulo e Salvador.